terça-feira, 24 de maio de 2011

A evolução da Olivia

Nossa, como o tempo passa... parece que foi ontem que viemos da maternidade com a Olivia. Lembro tão bem desse momento. Era meu aniversário de 31 anos, 16 de fevereiro, quarta-feira, chovia muito em São Paulo, ruas alagadas, um trânsito horroroso... Quando chegamos em casa fomos trocá-la e ela chorou muito... ficamos perdidinhos e eu pensando no que me esperava...rs  mas sorte que a Olivia sempre foi tranquilinha.

No começo ela dormiu no moisés, que ficava no meio da nossa cama. A gente mal podia se mexer, pq não tinha espaço. Eu não dormia  nada, ficava o tempo todo olhando pra ela, quase a noite toda acordada, velando seu sono e esperando a hora pra dar mamá. Dormia no máximo umas 2, 3h por noite e ficava super disposta e pronta pra cuidar cada vez mais dela no dia seguinte. Os hormônios do pós parto são uma loucura e o instinto materno vem de uma forma tão forte que damos conta de tudo. 

Nunca me preocupei se teria leite ou não depois que ela nasceu. Amamentava tranquilamente, e me preocupava mesmo era com a pega dela, pra não machucar meu mamilo e poder curtir o momento.
O meu leite desceu de uma forma muito engraçada: senti o peito pesar muito e inchar de uma hora pra outra, aí deitei na cama e de repente começou a esguichar leite pra todos os lados. O Edgar entrou no quarto e meu viu dando risada daquela situação e riu muito também. Dali pra frente sempre tive fartura e há mais de um mês dôo leite pro Hospital Universitário, para bebês prematuros, que estão na UTI. Tiro leite todos os dias pela manhã e o corpo já entende que agora fora as mamadas da Oli tem mais uma outra bebezinha chamada "bomba elétrica" mamando ali.
Falo muito isso: que entrar em trabalho de parto ajuda muito na amamentação, no leite, porque o corpo entende que é a hora do bebê nascer, e que é hora de produzir leite. O que tenho visto muito é a comprovação de que mães que fizeram uma cesária eletiva, aquela que marca a data do nascimento do bebê, ou não esperaram nem completar as 40 semanas de gestação e já fazem a cirurgia para retirar do bebê antes do tempo (baita susto eles devem tomar, tadinhos), têm dificuldade na amamentação. O bebê também deixa de ganhar seus preciosos quilos no final da gravidez, que é o mais importante e depois de nascidos demoram pra ganhar peso, por conta dos problemas com a amamentação e acabam sofrendo por consequência... uma pena.

Com  a evolução da Olivia, cada dia mais, já sinto falta daquela bebezinha  recém nascida... O crescimento dos bebês é impressionante e passa muito rápido. Sempre ouvi falar isso, mas agora tive como comprovar: realmente passa rápido e cada mudança de fase dá uma saudade enorme. 

Hoje me peguei pirando olhando pra ela tentando se sentar, ainda meia tortinha e olhando admirada para seus pés, percebendo naquele exato momento que eles faziam parte de seu corpo. Ela mexia os pezinhos e arregalava os olhos, devia pensar: eles realmente são meus...rs
Ela adora ficar se movimentando pra frente pra se sentar. Ainda não fica muito tempo sozinha sentada, mas já é um marco na sua evolução. Gosta também de ficar em pé e qualquer ajudinha no seu impulso de levantar se alegra toda e tenta ao máximo se equilibrar. Uma coisa fofa!! 

Após os 3 meses os bebês começam a entender sua própria existência, não sendo mais uma extensão da mãe e aí começam as transformações. O bebê começa a olhar tudo ao redor com muita curiosidade.
 Quando saio com a Olivia no sling fico o tempo todo olhando pra ela. Ela fica impressionada com o mundo ao seu redor, com as árvores, com as plantas, com os carros... adora ficar olhando da sua janelinha do útero, como é considerado o sling.
Outra mudança foi na amamentação. Ela suga com muito mais força os mamilos e muitas vezes joga sua cabeça pra trás enquanto está mamando, levando meu peito junto, como se quisesse testar se ele faz parte de seu corpo. Ela começou a entender agora que o peito não faz parte dela, que é uma outra parte fora de seu corpo.
Os barulhos de fora também chamam muito sua atenção e ela percebe cada barulhinho diferente quando vamos ao parque, principalmente quando esta mamando. A distração aumenta.

Uma das características marcantes da Olivia é sua tagarelice. E como essa bebê linda fala! Fala, fala e fala... Adora contar histórias, fazer drama, ás vezes conta com muito sofrimento e ás vezes conta com muito humor, mas sempre falando muito. Não tem vergonha de ninguém. Fala na aula de baby yoga, fala durante a apresentação do grupo de canto, fala com quem ela ainda não conhece... tem dias que está mais quietinha, mas é só dar uma cordinha pra ela que já começa seu "éééé  ãããã mããããã....." e por aí vai.... Meu pai bate altos papos com ela. Minha mãe também já conversou muito e é impressionante a empolgação da Olivia ao falar, ao ouvir sua própria voz. 

Outra característica da Olivia é fazer um mega barulho ao bocejar. Ela fala "aaahhhhh" ao bocejar. Eu morro de rir.
Adora morder sua fraldinha e faz o barulho "nhô nhô nhô" com muita intensidade, como se fosse comer mesmo a fralda, é muito engraçado. 
Ás vezes solta uma gargalhada com barulhinho de gargalhada mesmo e adora abrir a beeem boca pra dizer que está muuuuito feliz.

Já aprendeu para o que serve suas mãozinhas gordinhas, além de quase comê-las. Começou pegando a fraldinha, depois passou a pegar mordedores, brinquedos e sempre leva tudo pra boca. Conhecendo o mundo pela boca....

Coloco ela de vez enquando de bruços e ela fica com e pescocinho erguido e mexendo muito as perninhas tentanto se movimentar, é o maior barato.
Ela não gosta de ficar muito tempo fazendo a mesma coisa, enjoa rapidinho e quer mudar de brincadeira, de posição, de tudo.

Gamou no colinho e agora não tem mais quem a tire dos meus braços, dos braços do papai e do vovô popi - que passou 15 dias em casa com a gente e ajudou ainda mais nesse processo de colinho. Até os 3 meses o bebê precisa só de colo, mas ainda não entende muito bem tudo isso. Depois dos 3 meses os bebês começam a entender a diferença entre o colo do carrinho, do berço, e aí começa a ter suas preferências... 

São muitas transformações e só posso dizer que a Olivia é bem espertinha e vai ser uma loucura quando  começar a falar de verdade, engatinhar e andar.  Ela tem muita energia. Acho que vou enfartar de amores ainda mais ao ver uma bebêzinha que era tão pequeninha, que saiu de dentro de mim, desbravando o mundo a fora.

7 comentários:

Sandra Hellen disse...

Não canso de dizer o quanto acho Olivia um encanto! Cada foto dela vejo uma criança feliz e amada!!!

Beijos pra vocês!!!

olavo disse...

oi linda minha neteinha que saudades , sinto muita falta , de vcsss amo muito

Julia Bayeux Petriccione disse...

Sandra, seu bebê tb é lindo demais!!!
Popi, amamos vc aqui com a gente!!!!!

Anônimo disse...

Minha gorduchinha é a coisa mais linda desse mundo! Amos vcs minhas meninas.

Beijo do Papai

Dani Lunkmoss Lohmann disse...

Oi Julia, sua Olivia é muito linda!! Há um tempo venho seguindo seu blog. Adorei!!!!
Beijos.

Cintia Fernandes disse...

essa foto me deixou babando. é bom relembrar o grande dia e ver as transformações dela. ne´?

olavo disse...

ju ela ta cada dia mais linda , sera que ela vai lembrar do vovo, ta cada dia maior e mais esperta,maior carinha de sapaeca, olivia é tudo de bom , parabens prs vcs...